Vinhos Tannat na Ecarta

A enóloga Maria Amélia Duarte Flores, nome à frente do projeto Núcleo Cultural do Vinho, da Fundação Ecarta, e da loja Vinho e Arte, apresenta, na quinta-feira (07.11), as histórias da Tannat uruguaia associadas a dicas de viagem.

A uva Tannat é considerada entre as grandes cepas da América Latina, sem esquecer da alta concentração de resveratrol, que tem poder antioxidante integrando o ranking dos vinhos mais benéficos para saúde.

De acordo com Maria Amélia, desde meados de 1800, quando a Tannat ingressava nos pagos uruguaios, via região de Salto, não se dimensionava o poder de transformação que atingiria quase dois séculos depois, que começou com o cultivo do imigrante francês Don Pascual Harriague. As crises e as guerras fizeram com que a uva chegasse no entorno de Montevidéo, se adaptando dia a dia a este terroir. “Nada melhor que um belo pedaço de queijo, um bom doce de leite ou uma carne para sentir a melhor expressão desta variedade”, afirma.

No encontro haverá degustação comentada de vinhos Tannat do Uruguai e da Campanha Gaúcha (abaixo) acompanhados de pães, queijos e doce de leite.

Elegido, da Montes Toscanini (Uruguai)
Reserva, da Montes Toscanini (Uruguai)
Dunamis Tannat, da Dunamis (Dom Pedrito)
Guatambu Lendas do Pampa, da Guatambu (Dom Pedrito)
Valle de las Lagrimas, vinho do uruguaio Álvaro Mangino, um dos 16 sobreviventes do acidente aéreo de 1972 na Cordilheira dos Andes
A atividade inicia às 19h30 na Ecarta (Av. João Pessoa, 943) e as inscrições, ao valor de R$50, devem ser realizadas em https://bit.ly/2MXOy7H

Outras informações: 51. 4009 2970.